A Air Berlin vai negociar com a Lufthansa e a easyJet a venda de activos, com a esperança de garantir a manutenção de pelo menos 80% dos cerca de oito mil postos de trabalho.
Air Berlin

A Lufthansa está interessada na compra das subsidiárias Niki e LGW, além de se propor adquirir os 38 Airbus A319/320 que tem contratados em wet lease com a Air Berlin, acrescidos de outros 13 A320.

Já a easyJet propõe-se adquirir até 30 aparelhos A320 da frota da Air Berlin, além de assumir operações da companhia a partir de Berlim Tegel.

A Air Berlin, a segunda maior companhia aérea germânica, opera com uma frota de 140 aviões. Mas alguns, nomeadamente os utilizados nas rotas transcontinentais, que serão desactivadas a partir de 15 de Outubro, serão entretanto devolvidos às locadoras.

As negociações entre a Air Berlin, a Lufthansa e a easyJet têm como prazo limite o dia 12 de Outubro.

A expectativa dos responsáveis da Air Berlin é garantir a manutenção de, pelo menos, 80% dos postos de trabalho do grupo.

A Air Berlin registou no ano passado um prejuízo de 782 milhões de euros. Em Agosto declarou-se insolvente depois da a Etihad, accionista maioritária, ter recusado injectar mais dinheiro na companhia.

A manutenção das operações só foi possível mediante a concessão de um empréstimo-ponte de 150 milhões de euros por parte do Estado alemão.

 

 

Os comentários estão encerrados.