Os volumes de carga ferroviária entre a Ásia e a Alemanha multiplicaram por dez em apenas um ano, segundo a DHL Global Forwarding.
DB Schenker startet ersten Güterzug von Hamburg nach Zhengzhou in Zentralchina

Os números foram revelados pelo operador logístico na abertura do seu novo Centro de Competência Ferroviária da China, situado na cidade alemã de Estugarda. Actualmente, a DHL oferece 15 ligações entre a Alemanha e o Extremo Oriente. Os comboios seguem o corredor Oeste trans-Cazaquistão e o corredor Norte trans-siberiano, através de uma rede de centros ferroviários na China, Taiwan, Japão e Coreia do Sul.

Para responder ao aumento da procura de ligações entre a Europa e a Ásia, a DHL anunciou que vai desenvolver novas soluções para o transporte multimodal, coordenando todo o processo de transporte entre a Alemanha e a China, para responder melhor aos seus clientes nos sectores do retalho, automóvel, tecnologia e engenharia mecânica.

“One Belt, One Road” potencia crescimento

Em 2013, o governo de Pequim colocou em marcha o projecto “One Belt, One Road”.

Com a finalidade de estender a influência da China para o Oeste, por mar e terra, as autoridades chinesas estão, com esta iniciativa, a promover investimentos significativos no exterior para adaptar a antiga rota da seda ao mundo contemporâneo, através de uma rede ferroviária, portuária e rodoviária.

Para já, a ferrovia estabeleceu-se como a espinha dorsal deste projecto, após o lançamento de novas rotas entre a Europa e o Extremo Oriente. Espanha, França, Alemanha, Reino Unido e Holanda contam-se entre os países que já estão ligados por este tipo de transporte com os principais centros industriais e comerciais da China.

 

 

Os comentários estão encerrados.