A Eslovénia tornou-se o 12.º país a aderir à carta de porte electrónica (e-CMR). Por cá, os apelos da Antram ainda não tiveram resposta do Governo.

e-CMR

“A adesão da Eslovéniva é mais um importante passo”, sublinhou a propósito o secretário-geral da IRU. “Acreditamos que motivará mais países a aderirem [ao e-CMR]. E quantos mais países o usarem, mais apelativo o sistema será e maiores serão os benefícios para todos”, reforçou Umberto de Pretto.

Antes da Eslovénia aderiram ao e-CMR a Bulgária, República Checa, Dinamarca, Estónia, Espanha, França, Letónia, Lituânia, Holanda, Eslováquia e Suíça.

O transporte rodoviário internacional de mercadorias é regulado pela convenção CMR (Convention relative au contrat de transport international de Marchandises par Route). O protocolo relativo à carta de porte electrónica só foi acrescentado em Fevereiro de 2008 e só entrou em vigor em Junho de 2011.

A primeira utilizaçã do e-CMR num transporte internacional de mercadorias na Europa aconteceu já no início deste ano, entre Huelva (Espanha) e Perpignan (França).

Entre as vantagens apontadas à carta de porte electrónica, a IRU realça a redução da papelada, os custos de manipulação três a quatro vezes mais baixos, a facturação mais rápida e um maior controlo dos envios e recepções.

A Antram já solicitou ao Governo a adopção urgente do e-CMR, lembrando a propósito que Espanha e França, dois dois principais parceiros comerciais de Portugal e mercados de actuação dos transportadores portugueses já o fizeram. Até agora o pedido não teve eco.

 

 

Tags:

Os comentários estão encerrados.