A HNA Airport Holding Group Co Ltd, do Grupo HNA, futuro accionista da TAP,  está a negociar a compra da participação da Odebrecht controla no aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro, o segundo mais movimentado do Brasil, avança a “Reuters”.

Aeroporto do Galeão

Em causa está a participação de 30% da construtora brasileira na empresa que gere o aeroporto desde 2014. Os restantes 70% estão divididos entre a Changi Airports International Pte Ltd, de Singapura, com 21%, e a Empresa Brasileira de Infra-estrutura Aeroportuária (Infraero), com 49%.

Como condição para a realização do negócio, segundo a “Reuters” os dois accionistas privados terão de injectar 900 milhões de reais (290 milhões de dólares) na sociedade-veículo que gere o aeroporto, montante que representa os pagamentos em atraso.

A Odebrecht está a vender activos não estratégicos para gerar recursos para amortizar o passivo de mais de 76 mil milhões de reais. A construtora atravessa um momento particularmente difícil por causa do escândalo de corrupção por si protagonizado.

O Grupo HNA é o maior accionista da Azul, a companhia brasileira de David Neeleman, parceiro de Humberto Pedrosa na Atlantic Gateway, accionista da TAP, e detém obrigações convertíveis da companhia aérea portuguesa que lhe poderão garantir uma posição de até 20% no capital.

 

Tags:

Os comentários estão encerrados.