O novo aeroporto do Montijo poderá estar em construção em 2019, se a proposta a apresentar pela ANA “cumprir” o memorando assinado entre o Governo e a concessionária.

Base Aérea Montijo

“É essa a intenção. Não está aprovada uma proposta final. Há uma negociação para fazer entre o Governo e a ANA – Aeroportos de Portugal para salvaguardar os interesses públicos. Se assim for, em 2019 é nossa intenção que o aeroporto esteja em desenvolvimento”, afirmou o ministro do Planeamento e Infraestruturas.

Pedro Marques, questionado pela “Lusa” à margem da inauguração da fábrica da multinacional francesa Eurostyle Systems Portugal na zona empresarial de
Lanheses, em Viana do Castelo, disse que, “neste momento, o trabalho que está em curso é um trabalho preparatório”.

“Os trabalhos devem estar no terreno em 2019 se a proposta que a ANA nos fizer, a proposta final que nos vai ser feita em 2018, com todos os estudos ambientais,
estudos de migração de aves, nos termos do memorando que assinámos, for aprovada”, referiu Pedro Marques.

O ministro explicou que o memorando assinado entre o Governo e a concessionária “prevê vários passos”.

“A ANA tem vindo a trocar documentação técnica com o Governo. Está, entretanto, a concluir os estudos de natureza ambiental que estavam em curso este ano.
Apresentará uma proposta final que será negociada, em 2018, como o memorando previa”, referiu.

A ANA entregou até agora ao Governo documentação técnica referente à resposta completar ao aeroporto de Lisboa, quando o calendário previa que em Agosto a
empresa gestora dos aeroportos submetesse uma proposta para uma infraestrutura aérea no Montijo.

Contactada pela “Lusa”, a ANA informou ter apresentado “à concedente [Estado] informação técnica sobre o projecto”, enquanto o Ministério do Planeamento e das
Infraestruturas disse que “o Governo e a concessionária encontram-se numa fase de troca de informação técnica, conforme determina o memorando”, sem precisar o
conteúdo nem se constituem a proposta que já deveria estar na posse do Executivo.

Segundo o memorando assinado a 15 de Fevereiro entre o Governo e a ANA – Aeroportos de Portugal, gerida pela Vinci Airports, foram definidos seis meses -
até meados de Agosto – para a apresentação de uma proposta para um aeroporto complementar ao de Lisboa na base aérea do Montijo.

Conforme a “Lusa” noticiou, o acordo prevê que, “no prazo de 180 dias contados da presente data [15 de Fevereiro]“, seja apresentado “um relatório com a proposta
de alternativa da concessionária ao novo aeroporto de Lisboa, baseada no desenvolvimento de capacidade aeroportuária complementar no Montijo”.

Este artigo tem 1 comentário

  1. O ministro do planeamento é igual à ministra do mar, falam muito e prometem de mais mas resultados de menos, não têm nenhuma visão estratégica de longo prazo e em vez de planearem o terminal do NAL em Alcochete como recomenda o bom senso ou senso comum indicado pela ordem dos engenheiros, não, vão gastar milhões em estudos para o Montijo onde só há espaço para os aviões até 2030, mas pior do que isto é que a DHL, a maior empresa de carga aérea da Europa e 1 das maiores do mundo, já espera e desespera há 7 anos !!!!!! para comprar o terreno para a construção do seu NOVO HUB e já anunciou que o vai desviar para Madrid e assim nós portugueses graças ao PS vamos outra vez perder o investimento para os “NUESTROS HERMANOS” DEVIAM SER PRESOS OS POLÍTICOS DO PS !!