No final de Agosto, o movimento acumulado de contentores nos portos do Continente superou os dois milhões de TEU, com Sines e Lisboa em destaque.

Porto de Lisboa

Na comparação com os primeiros oito meses de 2016, os volumes agora registados representam um crescimento de 18,1%. Mas Sines cresceu 26,7% e Lisboa 42,3%. Sines continua a bater recordes, somando agora 1,2 milhões de TEU movimentados, enquanto Lisboa prossegue a recuperação do tempo perdido nos últimos anos e supera os 331 mil TEU.

Leixões recua 6,5% face ao ano passado, com 419 mil TEU processados, enquanto Setúbal cede 4,1% para cerca dos 105 mil TEU. Na Figueira da Foz o movimento mantém-se na casa dos 15 mil TEU.

Transhipment vale um milhão de TEU

No relatório divulgado a propósito, a Autoridade da Mobilidade e dos Transportes (AMT) insiste na importância crescente dos movimentos de transhipment nos números globais dos contentores.

Sines é o porto de transhipment por excelência. Aí os movimentos de baldeação de contentores cresceram mais de 30% nos primeiros oito meses do ano e passaram a representar 82,7% do total do porto alentejano (em Leixões valem 2,9% e emr Lisboa 1,4%).

No total nacional, os movimentos de transhipment ultrapassaram, no final de Agosto, o milhão de TEU, representando já 47,2% dos cerca de 2,1 milhões de TEU.

Agosto em alta

Em Agosto, a carga contentorizada recuou face ao mesmo mês de 2016 mas o movimento de contentores, medido em TEU, avançou 5,4%.

Em termos percentuais, Setúbal teve o melhor comportamento, com um ganho homólogo de 13,4% e um total de 12 195 TEU. Seguiram-se-lhe Sines (+6,6% e 137 310 TEU), Leixões (+4,1%, 54 959 TEU) e Lisboa (+2%, 42 968 TEU).

Em terreno negativo, mas sem peso para influenciar o resultado global, esteve apenas a Figueira da Foz com uma quebra de 5,6% para 2 093 TEU.

 

Os comentários estão encerrados.