Um total de 40 novos mega-navios deverá juntar-se à frota mundial de porta-contentores ao logo de 2018, de acordo com a BIMCO.

 

Os armadores mundiais têm colocadas 53 encomendas de navios maiores 13 500 TEU com entrega programada para este ano, mas a BIMCO calcula que algumas entregas serão adiadas, ficando o número final a rondar os referidos 40 mega-navios. Em 2017, estavam agendados para entrega 55 navios do mesmo tamanho, mas apenas 43 acabaram por ser entregues.

Um mercado forte no ano passado foi o de navios em segunda mão. Foram transaccionadas 297 embarcações nesse segmento, avaliadas pela VesselsValue.com em 4,17 mil milhões de dólares (3,39 milhões de euros). Os navios usados da classe Panamax estiveram em destaque, com 93 embarcações comercializadas.

É que, indica a BIMCO, em muitos casos os preços de compra eram iguais aos valores de desmantelamento, o que significa que havia pouco risco. Desde meados de 2017 que os preços de desmantelamento e de compra em segunda mão aumentaram.

Um navio Panamax com 4 275 TEU construído em 2009 estava avaliado em 13,7 milhões de dólares em Julho de 2016, em 5,6 milhões em Janeiro de 2017 e em 10,9 milhões em Janeiro de 2018. Ao mesmo tempo, o valor de desmantelamento do mesmo navio era, nos respectivos períodos, de 4,6 milhões, 5,6 milhões e 8,1 milhões de dólares. Isto que significa que, em Janeiro de 2017, os valores de desmantelamento e dos usados eram iguais.

Equilíbrio será mantido

Em relação à procura global no sector do transporte marítimo de contentores, a BIMCO indica que será menor do que em 2017, mas, ainda assim, alta o suficiente para potencialmente melhorar o equilíbrio do mercado.

Em 2018, a procura deverá, de acordo com a entidade, crescer 4-4,5% contra um crescimento da frota de 3,9%.

 

 

Tags:

Comments are closed.