Um consórcio liderado pela Accenture desenvolveu testes reais de transporte marítimo com uma solução blockchain que elimina a necessidade de documentos impressos. De acordo com o consórcio, isso representa poupanças de centenas milhares de euros anuais ao sector.

O consórcio, formado, além da Accenture, pela Ab inBev, APL, European Customs e Kuehne+Nagel – que representam as diferentes partes envolvidas num transporte internacional – colaborou para testar a tecnologia em 12 transportes reais, com diferentes destinos e requisitos legais.

A AB InBev desempenhou o papel de exportador, a APL, o da companhia de transporte, a alfândega europeia replicou os requisitos legais para o transporte e a Kuehne + Nagel forneceu orientação sobre os requisitos de um transportador. A Accenture contribuiu com os conhecimentos da tecnologia blockchain e desenvolveu a arquitectura técnica necessária para uma solução deste tipo.

Os ensaios confirmaram, de acordo com as companhias, que a tecnologia blockchain pode reduzir os custos operacionais e aumentar a visibilidade da cadeia de abastecimento

A solução blockchain é, garante o consórcio, capaz de acelerar o fluxo de documentos, reduzir os requisitos de entrada de dados em até 80%, simplificar as correcções durante todo o envio, agilizar os controlos necessários para o transporte e reduzir o risco de penalizações por inconformidades aduaneiras, cobradas aos clientes.

 

 

Os comentários estão encerrados.