Em Maio, a venda de pesados de mercadorias deu mais um trambolhão, agora de 57%, e com isso a quebra acumulada em 2020 subiu para 37%, segundo a ACEA.

Em Maio, foram registados na UE 15 244 pesados de mercadorias. Há um ano, no mesmo mês, contaram-se 35 391, divulgou a ACEA. Maio foi o 11.º mês consecutivo com as vendas de comerciais de +3,5 toneladas a regredirem em termos homólogos.

A Alemanha, o maior mercado europeu, liderou as quedas mensais, com um retrocesso de 55% para 4 535 matrículas. Espanha fez ainda pior, a recuar 59% para 924 veículos. França caiu 47% para 3 253 registos, e Itália cedeu 41% para 1 354.

Em termos percentuais, a maior quebra das vendas de comerciais de +3,5 toneladas registou-se na Estónia (-85% e 20 matrículas), enquanto Chipre e Grécia, por esta ordem, foram os únicos mercados a crescer (54% para 20 e 31% para 42, respectivamente).

Em Portugal, o mercado de pesados de mercadorias mingou em Maio 67% para 135 matrículas (404 há um ano).

Com isto, a quebra das vendas em 2020 agravou-se para -39%, ou 95 174 matrículas contra 151 927.

Entre os principais mercados, a França lidera as perdas (-41%), com 15 291 registos, seguida da Alemanha com -35% (29 670), de Espanha com -31% (6 878) e de Itália com -29% (7 641).

A ganhar só está mesmo a Grécia: 38% e 290 matrículas. Em Portugal, contam-se 1 052 (-47%).

Já contabilizado fora da UE, o Reino Unido registou uma quebra de 76% nas matrículas em Maio (1 225 vs. 5 049), e de 44% no year-to-date (13 869 vs. 21 623).

 

 

Tags:

Leave a comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*