O aumento da oferta de outras companhias não chega ainda para compensar a redução de 74 voos semanais da TAP no Porto, alerta o presidente da Associação Comercial do Porto (ACP), Nuno Botelho.

Aeroporto do Porto

“Acredito que o mercado se ajuste e reequilibre, mas o efeito imediato é negativo. É quase impossível substituir 74 voos internacionais”, observou o dirigente, em declarações à “Lusa”, quando se cumpriu o primeiro mês da ponte aérea da TAP e do fim de várias ligações internacionais da companhia nacional à saída do Porto.

Nuno Botelho lembrou que “a TAP anunciou a suspensão de quatro rotas europeias” mas o que se verificou foi “a supressão de 74 voos semanais para destinos na Europa, no Brasil e nos Estados Unidos”. “A supressão foi bem maior do que a anunciada inicialmente”, frisou.

Simultaneamente, acrescentou o presidente da ACP, “foi feito um reforço de 59 ligações internacionais a partir do aeroporto de Lisboa”.

“Tudo isto estaria muito bem se a TAP fosse, e não sei se é, uma empresa privada. Não compreendo por que é que o Estado português pôs dinheiro nessa empresa. Será que foi para calar os partidos com quem tem coligação no Governo? Será que foi para calar os sindicatos?”, questionou o responsável.

Sobre a ponte aérea Porto-Lisboa, o presidente da ACP disse que a TAP tem prestado “um mau serviço, pouco fiável e atrasado”, para além de ser “lesivo para os interesses da região”.

“O único mercado que a TAP vê no Porto é que pode gerar receita em Lisboa. Para a TAP, o aeroporto do Porto é irrelevante. É uma obrigação descartável. Temos aqui um rato escondido com o rabo de fora: todos percebem que está em causa um novo aeroporto e uma nova travessia em Lisboa”, denunciou Nuno Botelho, em declarações à “Lusa”.

TAP: Ponte aérea dentro da expectativa

“A ponte aérea está a decorrer dentro da expectativa, com normalidade. Trata-se de um produto cada vez mais consistente”, disse, por seu turno, à “Lusa” o porta-voz da TAP, escusando-se dar quaisquer outras informações, designadamente as da taxa de ocupação dos voos da ponte aérea nos seus vários horários.

A 27 de Março, a TAP duplicou as ligações aéreas entre Lisboa e o Porto, passando a ter 18 ligações diárias em cada sentido, com partidas de hora a hora.

O reforço da operação da TAP entre Lisboa e o Porto coincidiu com o fim de quatro rotas com destinos europeus, consideradas deficitárias pela companhia, designadamente para Barcelona, Bruxelas, Milão e Roma.

 

 

Tags:

Os comentários estão encerrados.