É oficial. A LD Lines anunciou no seu site a suspensão da AEM Gijon-Nantes a partir do próximo dia 17. Mas deixou em aberto a possibilidade de a reatar. As autoridades espanholas e francesas multiplicam os contactos em busca de uma solução.

Quando se cumprem quatro anos sobre o arranque das operações e chega ao fim o período de vigência dos apoios públicos ao serviço, a LD Lines interrompe as ligações entre Espanha e França. A última saída acontecerá no próximo dia 16.

A operadora justifica a decisão com as perdas operacionais em que incorre. Uma situação que não foi revertida nem com a tentativa de criar uma rede com os portos de Santander, Poole e Rosslare. Um esforço que, outrossim, implicou mais investimento.

No anúncio da suspensão do serviço é dito que ele acontece “à espera de que se concluam as conversações destinadas a encontrar uma solução para retomar” as ligações. E, de facto, ainda hoje os governos de Madrid e Paris voltaram a reunir-se com esse objectivo.

A AEM Gijon-Nantes termina a poucas semanas do esperado arranque da AEM Vigo-Nantes que, como ela, receberá apoios públicos de mais de 30 milhões de euros.

O novo serviço, na prática uma expansão de oferta já existente, será operado pela Suardiaz (que também está envolvida na AEM Gijon-Nantes), que com dois navios garantirá quatro ligações semanais em ambos os sentidos.

A AEM Vigo-Nantes será especialmente vocacionada para carga não acompanhada, pelo que não será propriamente concorrente do serviço da LD Lines, mas é impossível não ligar os destinos das duas.

Curiosamente, foi português o primeiro camião a desembarcar em Gijon, na primeira viagem da AEM. Os transportadores portugueses, no Norte e Centro, são, de resto, bons clientes da LD Lines.

Comments are closed.