A empresa pública Aeroportos de Moçambique registou um prejuízo de 21,1 milhões de dólares em 2014, apesar do aumento de 13% no volume de negócios, indica o relatório de contas publicado na imprensa local.

Moçambique - Aeroporto de Maputo

A empresa que gere os aeroportos públicos moçambicanos realizou receitas no valor de 42,9 milhões de dólares, contra os 33,7 milhões do período homólogo anterior. Mas os custos operacionais dispararam de 33,7 milhões de dólares, em 2013, para 50,4 milhões de dólares, em 2014.

Na mensagem que acompanha o documento, o presidente da empresa sublinha os “recordes operacionais” alcançados, com 2,03 milhões de passageiros processados (mais 10%), mais de 75 mil voos (mais 4%) e 13 607 toneladas de carga manuseada (mais 8%).

De acordo com Emanuel Chaves, em 2014 os investimentos realizados atingiram os 180 milhões de dólares, num crescimento de 285% face ao ano anterior, tendo os recursos sido “principalmente aplicados na construção do Aeroporto de Nacala”, cuja abertura é assinalada pela empresa como um dos grandes acontecimentos no sector dos transportes em 2014.

Entre os 13 principais aeroportos geridos pela empresa, o de Maputo foi o que registou o maior movimento de passageiros (mais de um milhão), seguido dos de Nampula e da Beira, ambos com mais de 200 mil passageiros.

Os comentários estão encerrados.