A AF-KLM Cargo registou no primeiro semestre um resultado operacional negativo em 116 milhões de euros, penalizada pela quebra do mercado e dos fretes e apesar da continuada redução de custos.

AF-KLM Cargo

Na comparação com o período homólogo de 2015, o resultado agora alcançado representa uma melhoria de 25 milhões de euros (38 milhões em base comparável).

O volume de negócios da AF-KLM Cargo regrediu 15,7%, para os 1,04 mil milhões de euros. Fruto da baixa dos volumes transportados – 4 121 milhões de toneladas-km, ou menos 7,5% c- e da erosão do frete médio em 12% para 13,7 cêntimos de euro/ton-km.

Do lado da contenção dos custos, e entre outras medidas, a AF-KLM Cargo prosseguiu a redução da oferta de capacidade – 32% no primeiro trimestre, 16% no segundo, no “all cargo” – com a retirada de três MD11 no início do ano. Restam agora seis cargueiros na frota. Contando com a capacidade dos porões dos aviões de passageiros, o corte no primeiro semestre ficou-se pelos 5,6%.

Demasiado pouco para compensar a quebra dos volumes, pelo que a taxa de ocupação deslizou mais 1,2 pontos percentuais para 58,9%.

Os responsáveis da companhia franco-holandesa esperam, agora, que a actividade “all cargo” atinja o break-even operacional em 2017.

 

Comments are closed.