O porto de Lisboa perdeu 31,2% de escalas nos últimos dez anos, 37,15 nos últimos 15, alerta a AGEPOR, a propósito de mais uma greve de estivadores anunciada pelo SEAL.

AGEPOR critica greves convocadas pelo SEAL

O porto de Lisboa é o que mais tem perdido no panorama nacional. “E o que tem feito o SEAL para defender o trabalho dos seus membros? Decreta greves!”, acusa a associação dos agentes de navegação. Só nos últimos dez anos terão sido “120 pré-avisos”.

“Devemos por isso concluir pelo sucesso do SEAL na defesa dos interesses dos seus associados. Menos navios vão trazer trabalho mais remunerado, menos carga vai trazer mais portos de trabalho. Tudo vai caminhando para menos, mas assim se assegura o futuro dos estivadores de Lisboa”, critica a AGEPOR, em comunicado.

“Será que a política do passado do SEAL vai trazer alguma inovação que não seja o declínio do futuro? Até agora não parece”, referem os agentes de navegação, que remetem a actuação do sindicato dos estivadores para os tempos da “revolução industrial do século XIX”.

E porque a última greve convocada pelo SEAL, e bem assim a próxima, anunciada para 13 de Agosto a 10 de Setebembro, são justificadas com a defesa da liberdade sindical, que faltará noutros portos que não Lisboa, a AGEPOR remata, com uma ponta de ironia:

“Os outros portos é que estão errados, os outros trabalhadores é que estão errados… os navios é que estão errados…”

Os comentários estão encerrados.