A greve é a actividade preferida do SEAL (sindicato dos estivadores), acusa a AGEPOR a propósito da paralização de estivadores anunciada para o próximo dia 27.

A greve dos estivadores será nacional, “mas o que pára é Lisboa, a casa do SEAL, aquela que este sindicato há-de conseguir demolir de tanto se esforçar”, reforça a associação dos agentes de navegação,

A AGEPOR insiste em que “O SEAL usa e prejudica os estivadores de Lisboa para objectivos que nada têm a ver com o porto de Lisboa e que só vêm prejudicar este porto e quem nele trabalha”.

No comunicado emitido a propósito da greve dos estivadores anunciada para o próximo dia 27, nos portos de Leixões, Figueira da Foz, Lisboa, Setúbal, Sines, Caniçal, Ponta Delgada e Praia da Vitória, a AGEPOR lembra que “nos últimos dez anos o sindicato dos estivadores de Lisboa entregou cerca de 120 pré-avisos de greve”.

E conclui que  essa é “uma política que só leva ao declínio à medida que as cadeias logísticas vão encontrando alternativas mais fiáveis e menos sujeitas às perturbações constantes, reais ou ameaçadas, para as quais este sindicato vive”.

 

Os comentários estão encerrados.