A Air France-KLM anunciou um novo plano estratégico, com o qual se propõe levar a área de carga do grupo de volta ao equilíbrio operacional em 2017.

O “Perform 2020”, como foi baptizado o novo plano, sucede ao “Transform 2015”, que representou a primeira fase da viragem do grupo de aviação franco-holandês.

“O “Transform 2015” será concluído até o final do ano, tendo atingido o objectivo de melhorar significativamente a competitividade do grupo e conseguido uma redução de custos superior a mil milhões de euros”, afirmou o presidente e CEO da Air France-KLM, Alexandre de Juniac, num comunicado de imprensa do grupo.

“O “Perform 2020” (…) terá duas alavancas principais: o crescimento, o que prevemos conseguir em várias áreas, e a competitividade, combinada com a disciplina financeira, que deve continuar a assegurar bases sólidas para o desenvolvimento da Air France-KLM”, acrescentou.

A área de negócio de carga da companhia área apresentou perdas operacionais de 202 milhões de euros em 2013. No primeiro semestre de 2014, os prejuízos diminuíram 21 milhões de euros face ao período homólogo do ano passando, totalizando o “vermelho” 79 milhões de euros. O objectivo é, como já foi referido, voltar ao equilíbrio em 2017.

Tal como o TRANSPORTES & NEGÓCIOS já noticiou, o reposicionamento da Air France-KLM Cargo tem foco na redução de frota de aviões cargueiros, dos actuais 14 para apenas cinco até 2016. A companhia mais afectada será a Martinair, que deixará de explorar cinco MD11.

A companhia aposta, em alternativa, em aproveitar ao máximo a capacidade disponível nos porões dos seus aviões de passageiros, cuja oferta deverá continuar a subir.

Os comentários estão encerrados.