A divisão de transporte de mercadorias da Air France-KLM aumentou os volumes e a facturação em 2017. A melhoria segue-se a cinco anos consecutivos de perdas. A companhia deixou, porém, de divulgar a rentabilidade do negócio.

 

As receitas da carga na Air France-KLM, à boleia da melhoria generalizada do sector em todo o mundo, cresceram 0,9% (+2% a taxas de câmbio constantes) no ano passado, para 2 087 milhões de euros, incluindo 1 934 milhões de euros para o transporte de mercadorias (+1,4%). Já a receita unitária melhorou 0,5% (+1,6% a taxas de câmbio constantes), para 13,45 euros.

Quanto à rentabilidade da área de negócio, deixou de ser divulgada pelo grupo. A Air France-KLM justifica a decisão pelo “reposicionamento estratégico do negócio de carga” e a implementação de um “novo modelo destinado a optimizar a venda da capacidade dos porões e combis dos aviões de passageiros e reduzir a frota de todas as aeronaves cargueiros”. Esta opção permite, por outro lado, “mascarar” uma possível persistência de perdas, com o negócio de redes a registar uma receita operacional positiva global de 1,192 milhões de euros.

As toneladas-quilómetro voadas da Air France-KLM subiram 1,8% no ano passado, para 8 595 milhões, após um longo período de declínio. Aquela subida foi superior aos 0,9% de aumento da capacidade (para 1432 milhões de toneladas-quilómetro oferecidas), permitindo que a taxa de ocupação tenha subido 0,6 pontos percentuais, para 59,9%.

 

 

 

Comments are closed.