A Air France-KLM enfrenta um pedido de indemnização de até 500 milhões de euros, numa acção  intentada por companhias europeias que afirmam terem sido prejudicadas pela concertação de preços na indústria de transporte aéreo de carga.

A Claims Funding International (CFI) anunciou a abertura de um processo recorde contra as três companhias do grupo franco-holandês – Air France, KLM e Martinair – na Justiça da Holanda.

A sueca Ericsson confirmou ser uma das empresas que lidera a acção judicial, mas recusou-se a fornecer mais detalhes à “Reuters”. A CFI, que suporta as custas judiciais e que receberá uma comissão caso o processo seja bem sucedido, apontou a Philips como outra das empresas envolvidas. A companhia holandesa não quis comentar.

Outras companhias dos sectores farmacêutico, automóvel, eletrónico, alimentar e de vestuário, de 11 países europeus, estarão também entre as queixosas, publicou o “De Telegraaf”.

Em Julho, a Air France-KLM a aceitou pagar 87 milhões de dólares para resolver acusações civis nos Estados Unidos, depois de em 2008 ter chegado a acordo com o Departamento de Justiça norte-americano e ter pago uma multa de 350 milhões de dólares.

“É injusto que a companhia indemnize as suas vítimas norte-americanas mas não as vítimas europeias”, resumiu um dirigente da CFI, que acrescentou que a acção só avança porque a companhia se recusou a negociar.

A Comissão Europeia também está a investigar acusações de que companhias aéreas terão concertado tarifas e sobretaxas na carga aérea entre 2000 e 2007. Uma decisão é esperada ainda para este ano.

Os comentários estão encerrados.