A Airbus deixará de fabricar o A380 em 2021 por falta de pedidos, depois de a Emirates ter reduzido a sua encomenda.

Há um ano, uma encomenda de mais 20 Airbus A380 da Emirates garantia a produção do aparelho até 2029. Agora, a redução em baixa do contrato ditou a antecipação do fim do super-jumbo europeu.

Lançado em 2007, para combater o B747 da rival Boeing, o Airbus A380, com capacidade para mais de 500 passageiros, nunca conseguiu afirmar-se verdadeiramente. E se não soçobrou mais cedo, isso deve-se ao apoio quase incondicional da Emirates, que garantiu quase metade –  123 – das cerca de 300 encomendas contratadas em dez anos.

Com a redução da última encomenda da Emirates, ao construtor europeu falta apenas produzir 16 aparelhos: 14 para a Emirates e dois para a ANA.

O fim da produção implicará custos extra para a Airbus na ordem 463 milhões de euros. E a companhia terá ainda de lidar com os perto de 3 500 funcionários afectos ao programa.

Em jeito de compensação, a Emirates “trocou” a encomenda de A380 por uma de 40 A330-900 e 30 A350-900.

 

This article has 2 comments

  1. “QUEM TEM MAIS OLHOS QUE BARRIGA …” rebenta

  2. “GRANDE BARRACA” a da Airbus, os novíssimos aviões da TAP não descolam mesmo e têm de deixar no chão carga e passageiros, a Boeing agradece muito !