Muito mais encomendas e mais entregas. Nos primeiros oito meses do ano, a Airbus ganhou em toda a linha à rival Boeing. O A320 Neo deu uma forte ajuda. Mas agora os norte-americanos dispõem do B737 Max…

Entre Janeiro e Agosto, a Airbus garantiu 1 156 encomendas e sofreu apenas 141 anulações. Resultado: umas impressionantes 1 015 encomendas líquidas. Só em Agosto foram 234, boa parte das quais confirmações das intenções de compra anunciadas em Le Bourget.

No mesmo período, a Boeing terá contratado a venda de 472 aparelhos, ao mesmo tempo que viu os compradores desistirem de 102. O saldo líquido ficou-se, por isso, pelas 370 encomendas.

Para o sucesso da Airbus muito contribuiu o A320 Neo, a versão remotorizada do A320 lançada em Dezembro do ano ano passado e que foi a estrela do salão aeronáutico de Paris. Mas agora, desde o final de Agosto, a Boeing tem o B737 Max, a versão remotorizada do campeão de vendas B737. E já há cinco companhias dispostas a comprarem até 496 unidades.

Adivinha-se, pois, renhida a luta entre os dois gigantes no que resta do ano. Sendo certo que até aqui a Airbus leva clara vantagem também nas entregas: 334 aparelhos (entre os quais 13 A380) até ao final de Agosto, contra 260 da Boeing até ao final de Julho.

Com os aviões contratados este ano a Airbus conta já uma carteira de encomendas de 45 233 aparelhos, a mais volumosa da história do construtor europeu e que lhe garante sete anos de trabalho ininterrupto à cadência de produção actual.

Comments are closed.