Dentro de dez anos, cerca de 40% dos motoristas alemães terão atingido a idade da reforma. Face às dificuldades para contratar no país, as fez transportadoras germânicas voltam-se para os mercados do Sul da Europa, onde a crise faz disparar o desemprego no sector.

De acordo com as projecções oficiais, de que a imprensa francesa especializada faz eco, serão cerca de 200 mil os motoristas alemães que atingirão a idade legal da reforma até 2020.

A situação é preocupante porque os empresários alemães têm dificuldades em contratar novos profissionais no país. Por cada dez que se reformam, apenas se consegue contratar um, diz um transportador citado pela “WK-Transport Logistique”.

A solução passa, cada vez mais, por contratar motoristas estrangeiros. Mas, curiosamente, os empresários alemães parecem mais disponíveis para recrutar nos países do Sul da Europa, do que nos vizinhos mercados de Leste.

Espanha, onde a crise fechou milhares de empresas só no último ano, atirando milhares de motoristas para o desemprego, é um dos mercados eleitos. É uma solução win-win, sustentam os empresários germânicos, lembrando que assim resolvem a falta de mão-de-obra qualificada ao mesmo tempo que os motoristas desempregados encontram uma solução que o seu país não lhes garante.

A base de recrutamento de motoristas para a Alemanha poderá, por isso, alargar-se a outros países do Sul da Europa. Desde logo a Grécia e, quem sabe, Portugal.

Comments are closed.