As vendas de pesados de mercadorias na Europa “dispararam” mais de 20% em Setembro, reduzindo as perdas acumuladas desde Janeiro para menos de 6%. A Alemanha, o maior mercado, confirma-se como o motor da recuperação.

Em Setembro, os principais mercados de pesados de mercadorias de +16 toneladas estiveram em alta, no que toca ao número de matrículas e ao resultado homólogo relativamente a 2009, salienta a ACEA nos dados hoje divulgados.

A Alemanha, número um no Velho Continente, registou um crescimento de perto de 30%, a França ultrapassou os 43%, a Itália superou os 51% e Espanha avançou mais de 18%.

Em contramão estiveram os mercados britânico, com uma quebra de 14%, e holandês, a recuar 11% relativamente a Setembro do ano passado.

Em Setembro foram registados na UE-27 19 372 pesados de mercadorias de +16t, 20,4% acima dos 16 084 de há um ano. Na Europa a 15 as matrículas atingiram as 17 225 unidades (mais 16%), enquanto os novos estados-membros avançaram quase 75% para os 2 117 veículos.

Em Portugal, as matrículas de pesados da gama alta recuaram 25% em Setembro, de 355 para 266 unidades.

No balanço dos primeiros nove meses do ano, o saldo global é ainda negativo em 5,5%. E entre os principais mercados apenas a Espanha (+13%) e a Alemanha (mais 7%) estão no azul. A Itália cede 8%, o Reino Unido 14%, a França 15% e a Holanda perto de 31%.

Portugal alinha pelos maus resultados dos “grandes”, com uma quebra de 18% ao cabo de três trimestres: 1 630 veículos matriculados agora, 1 992 registados há um ano.

Em termos globais, a União Europeia a 27 acumula perdas de 5,5%, com 120 152 registos. Os Quinze recuam 8% para as 107 413 matrículas, ao passo que os novos estados-membros somam 12 739, ou seja, mais 27% em termos homólogos.

 

Os comentários estão encerrados.