Por causa da fraca procura e dos fretes baixos, Maersk Line e MSC anunciam para a primeira semana de Novembro um corte nos serviços entre a Ásia e o Mediterrâneo Oriental, com particular incidência no Mar Negro.

Maersk Line

Do lado da Maersk Line, a companhia dinamarquesa anuncia a fusão dos serviços AE3 (Ásia-Mar Negro) e AE15 (Ásia-Mediterrâneo Oriental), de que resultará a redução da oferta de capacidade no equivalente a nove navios de 5 500 TEU.

Em consequência, acrescenta, os portos do Mar Negro passarão a ser serviços por um serviço feeder ainda não detalhado.

A MSC, por seu lado, anuncia o fim do Great Sea Service, que liga a Ásia ao Mar Negro. As cargas com origem/destino no Mar Negro passarão a ser transferidas no Asyaport, na Turquia.

A nova oferta da MSC no Ásia-Mediterrâneo é, assim, composta por quatro serviços: Dragon, Jade, Phoenix e Tiger (sendo este último o que serve o Mediterrâneo Oriental e, via transhipment, o Mar Negro).

A fraca procura e, logo, a quebra do preço das tarifas está a atingir também duramente o tráfego Ásia-Mediterrâneo (e não apenas o Ásia-Norte da Europa). Mas os analistas sublinham que os operadores, e em particular os membros das alianças 2M e Ocean Three, “puseram-se a jeito” quando aumentaram a oferta no início do ano.

 

 

 

Comments are closed.