A companhia italiana registou perdas de 164 milhões de dólares no primeiro semestre do ano.

A Alitalia estará a ponderar o despedimento de mais 1 400 trabalhadores, avança a imprensa transalpina, referindo-se aos resultados de um encontro entre o presidente da empresa e os funcionários.

Os planos da companhia até ao final do ano compreenderão também a não renovação de contratos com outros 600 colaboradores temporários.

Rocco Sabelli terá apresentado aos trabalhadores os planos para reduzir custos e aumentar a eficiência, recorrendo ao outsourcing. A reestruturação da Alitalia implica a redução do quadro de pessoal para 12 600 efectivos.

A Alitalia propõe-se ainda poupar 108 milhões de euros no segundo semestre, mediante a venda dos serviços de manutenção e de equipamentos diversos.

A companhia italiana foi salva da bancarrota no ano passado, quando foi adquirida por um grupo de investidores “apadrinhado” por Sílvio Berlusconi e liderado pelo dono da Air One, a segunda transportadora aérea do país. Na altura, a AF-KLM adquiriu uma posição de 25% no capital da empresa, assumindo-se como o seu parceiro industrial.

No primeiro semestre deste ano a Alitalia registou perdas de 164 milhões de euros, sensivelmente metade dos 324 milhões do mesmo período de 2009.

Os comentários estão encerrados.