A MSC deverá diminuir substancialmente a diferença face à Maersk em termos de capacidade disponível ao longo de 2019, antecipa a Alphaliner. A MSC será a companhia que receberá mais novas embarcações.

A MSC receberá um total de 20 navios este ano, com uma capacidade acumulada de 334 550 TEU, segundo os dados da Alphaliner. Entre eles estarão oito navios de 23 mil TEU, em construção na Coreia do Sul.

A Alphaliner aponta ainda cinco porta-contentores de 14 300 TEU, a serem entregues no segundo semestre deste ano. Acrescem sete navios de 10 700 a 11 500 TEU, encomendados ao estaleiro chinês Jinhai Heavy Industries. As entregas foram adiadas ao longo de 2018, mas neste momento é expectável que as entregas arranquem já no primeiro semestre de 2019, ainda que a Alphaliner admita novos adiamentos.

A consultora dá conta que, além da construção de novos navios, a MSC lançará este ano um programa de alargamento de algumas das embarcações que tem em frota. O programa prevê que uma série de porta-contentores de 14 000 TEU passem a ter capacidade para 17 000 TEU.

Já a Maersk Line, número um mundial e parceira da MSC na aliança 2M, tem encomendados apenas seis navios, com uma capacidade agregada de 73 699 TEU.

As últimas estatísticas da Alphaliner mostram que, incluindo a actual carteira de encomendas, a Maersk conta uma capacidade de cerca de 4,1 milhões de TEU, quase 800 mil TEU mais do que a MSC.

No ranking das companhias que mais navios deverão receber este ano, a Alphaliner destaca também os casos da Cosco e da Evergreeen. A primeira poderá acrescentar 181 mil TEU à sua capacidade, e a segunda 134 mil TEU.

Com isso, a Cosco deverá afastar-se da CMA CGM, número quatro mundial, ao passo que a Evergreen aproximar-se-á da Hapag-Lloyd e da ONE.

Olhando para as grandes alianças, fica evidente que a 2M e a Ocean Alliance se afastarão da THE Alliance, que conta apenas com a encomenda de quatro navios de 14 200 TEU pela Yang Ming para aumentar a oferta de capacidade.

 

 

 

Os comentários estão encerrados.