Pela primeira vez desde a crise financeira que atingiu o transporte marítimo de contentores em 2009, o multiplicador PIB-TEU está a crescer, indica uma análise recente da Alphaliner.

Evergreen

Com a previsão de crescimento anual de movimento de contentores a atingir 6% à escala global, e depois dos volumes terem subido 9,1% nos portos chineses de Janeiro a Setembro, a consultora sugere que há motivos para um optimismo renovado para os operadores de transporte marítimo.

“O forte crescimento do volume de contentores deste ano deverá elevar o multiplicador [PIB-TEU, relação entre crescimento económico e volumes de contentores] para 1,7 vezes o crescimento do PIB global, revertendo a tendência de queda recente que viu o multiplicador cair para abaixo de 1,0 nos dois anos anteriores”, referem desde a consultora.

“As previsões de que o transporte de contentores tinha atingido uma fase madura do seu desenvolvimento, com os volumes a crescerem apenas ao mesmo nível do PIB, provou ser demasiado pessimista, mesmo que seja pouco provável que haja um regresso ao rácio 2-3 vezes o PIB de antes de 2008”, analisa a Alphaliner.

Cautelas para 2018

A consultora mostra, porém, cautelas para 2018, com o aumento da capacidade a colocar pressão sobre os preços médios dos fretes.

“O maior crescimento da procura registado este ano não foi suficiente para parar uma queda dramática nas tarifas spot no terceiro trimestre, com o SCFI a ter uma queda de 23% desde o final de Julho, com pressão descendente em Outubro”, indica a análise.

Os transportadores terão de manter-se atentos em 2018, já que, avisa a Alphaliner, o lançamento de novos porta-contentores continuará a pressionar os preços dos fretes no próximo ano. “A nova capacidade total prevista para 2018 deverá chegar a 1,72 milhões de TEU, em comparação com 1,25 milhões de TEU a serem entregues em 2017, depois de contabilizar alguns adiamentos deste para o próximo ano”, avisa a casa de Paris.

 

 

 

 

Comments are closed.