As dez maiores companhias de transporte marítimo de contentores terminaram 2017 com uma quota combinada de 77% da capacidade global, de acordo com a Alphaliner. Esta é uma percentagem recorde, indicam desde a consultora.

Esta realidade é justificada pela Alphaliner pelo cenário de concentração do mercado no ano que passou. Destaques para a conclusão da aquisição da UASC pela Hapag-Lloyd, em Maio, e para a compra da Hamburg Süd pela Maersk, no final de Novembro.

A Alphaliner prevê que a capacidade conjunta das dez maiores companhias mundiais cresça ainda e atinja os 82% com a iminente incorporação da OOCL na COSCO e com a fusão das negócios de contentores das japonesas K Line, MOL e NYK para formarem a ONE – Ocean Network Express.

As três maiores companhias continuam a ser Maersk, MSC e CMA CGM. A consultora dá nota, porém, que a COSCO e a Hapag-Lloyd diminuíram a diferença face às Big Three através de movimentos de consolidação nos últimos dois anos. A Alphaliner prevê, de resto, que após a conclusão da aquisição da OOCL, a COSCO deverá “roubar” o terceiro lugar à CMA CGM.

No final do ano passado, Maersk, MSC e CMA CGM concentravam-se 45,6% da capacidade mundial de transporte marítimo de contentores e a Alphaliner prevê que ao longo de 2018 ultrapassem mesmo os 50%, com a recepção dos novos navios encomendados.

Segundo a consultora parisiense, actualmente as 10 maiores companhias, em termos de capacidade, são:

APM-Maersk (4,15 M TEU – 19,3%)

MSC (3,16 M TEU – 14,7%)

CMA CGM (2,52 M TEU – 11,7%)

COSCO (1,79 M TEU – 8,3%)

Hapag-Lloyd (1,56 M TEU – 7,2%)

Evergreen (1,06 M TEU – 4,9%)

OOCL (686 m TEU – 3,2%)

Yang Ming (596 m TEU – 2,8%)

MOL (584 m Teu – 2,7%)

NYK (558 M teu – 2,6%)

Comments are closed.