A espanhola Alsa e a francesa Transdev explorarão as redes da STCP e da Metro do Porto, respectivamente, nos próximos dez anos, anunciou o Governo.

stcpmetroporto

Como o único critério para a escolha dos vencedores era o preço, poucas horas bastaram (o prazo para a apresentação de candidaturas terminou as 17 horas de ontem) para decidir o processo de ajuste directo. Pelo caminho ficam a Barraqueiro e a E.T. Gondomarense.

Juntos, os dois concessionários propõem-se pagar mais 18 milhões de euros, ao longo dos dez anos da concessão, que o consórcio TMB/Moventis, que venceu o primeiro concurso (entretanto anulado).

Aos jornalistas, o secretário de Estado dos Transportes precisou que a Alsa pagará mais 500 mil euros/ano pela exploração da STCP, e que a Transdev entregará mais 1,35 milhões de euros/ano pela Metro do Porto. A frota da STCP será integralmente renovada durante a concessão, acrescentou.

Sérgio Monteiro sublinhou ainda que com as concessões o Estado deixa de pagar indemnizações compensatórias, e que não haverá aumentos extraordinários de tarifários.

A Alsa integra o grupo britânico National Express. Opera com uma frota de 2 300 autocarros em Espanha e em Marrocos.

A Transdev integrou o consórcio Normetro, responsável pela implementação da rede de metro da Invicta, e operou o serviço nos primeiros anos, até ele ser concessionado à ViaPorto (liderada pelo Grupo Barraqueiro). Trata-se, pois, de um regresso. Actualmente a actividade da multinacional francesa no nosso país resume-se ao transporte rodoviário de passageiros, mas o Porto já foi a sede das operações ferroviárias do grupo para a Península Ibérica e Marrocos.

Escolhidos os vencedores, os processos de concessão seguem agora a tramitação normal, com passagens pela Autoridade da Concorrência e pelo Tribunal de Contas.

 

 

 

Comments are closed.