A Amazon proibiu as entidades que vendem produtos na sua plataforma de recorrerem aos serviços da FedEx para as entregas do serviço Prime.

A gigante do e-commerce alega que a FedEx perdeu eficiência, mas os motivos profundos terão a ver com a “guerra” entre as duas companhias pela liderança do mercado das entregas ao domicílio. A  suspensão acontece em plena época natalícia.

As entidades terceiras que vendem os seus produtos online através da Amazon podem escolher qual a companhia de serviços urgentes para entregar a encomenda ao consumidor. Entre elas estão a UPS, a US Postal e os serviços próprios de entrega da Amazon.

Até agora, estava, também a FedEx e é precisamente aqui que poderá estar a verdadeira razão da proibição decretada pela companhia de comércio electrónico. É que a Amazon considera, de acordo com fontes internas, que a FedEx está a “aproveitar-se” da plataforma para aumentar o seu volume de negócios à custa de serviços também oferecidos pela Amazon.

A proibição já está activa e não tem data de levantamento, limitando-se a Amazon a definir o prazo para quando a eficiência das entregas da FedEx “melhorar”.

“Embora essa decisão afecte um número muito pequeno de fornecedores, limita as opções dessas pequenas companhias durante alguns dos dias de maior procura por encomendas e pode colocar em xeque a sua capacidade de dar resposta aos consumidores”, lamenta, em comunicado, a FedEx. A escolha da época natalícia para este “bloqueio” não terá sido, com efeito, inocente, de acordo com os analistas.

 

 

 

 

Tags:

Comments are closed.