A Amazon propõe-se impulsionar a criação de uma rede de PME de transporte com a qual pretende melhorar a distribuição de “última milha” nos Estados Unidos. O gigante do e-commerce irá baptizar a rede de Amazon Logistics.

A Amazon propõe-se impulsionar a criação de uma rede de PME de transporte com a qual pretende melhorar a distribuição de "última milha" nos Estados Unidos.

A Amazon quer contar com centenas de companhias de logística e transporte que, por sua vez, contratarão dezenas de milhar de operadores para efectuarem as entregas. O objectivo da Amazon é, desta forma, competir com as grandes companhias de entrega de encomendas dos EUA, como a UPS ou a FedEx.

A Amazon Logistics parece ser uma melhoria face ao Amazon Flex, que está a criar polémica em vários países onde está presente, a começar pela vizinha Espanha, devido às dúvidas que gera em termos de conformidade com os regulamentos laborais e de transporte.

O novo plano parece, além disso, descartar, pelo menos para já, os rumores de que o gigante do comércio electrónico estaria a pensar comprar companhias de transporte e logística nos Estados Unidos.

Não foi, no entanto, revelado se o serviço envolve a criação de uma rede de franqueados para serviços logísticos “disfarçada” sob o eufemismo de uma comunidade de colaboradores para os serviços de entrega.

 

 

 

 

Os comentários estão encerrados.