Amazon reforça presença no transporte aéreo

A Amazon poderá duplicar, de 20% para 40%, a sua participação nas companhias aéreas ATSG e Atlas Air, comunicaram as próprias à SEC norte-americana.

O reforço da participação Amazon no capital social das duas operadoras de transporte aéreo decorrerá do aumento do envolvimento comercial das duas com a gigante do e-commerce.

De acordo com as informações avançadas à SEC (o equivalente à Comissão de Mercado de Valores Mobiliários), a Amazon tem planos para reforçar significativamente a sua frota de aviões cargueiros, com mais aparelhos B767 e, pela primeira vez, também B737.

Uma subsidiária da ATSG (a CAM) irá contratar em leasing dez unidades adicionais de B767-300F para a Amazon, cinco este ano e cinco em 2020. Ao mesmo tempo, os leasings dos primeiros B767-200F serão prolongados por dois anos, e os contratos iniciais de B767-300F vigorarão por mais três anos. Todos os 20 leasings existentes têm opções de renovação por até mais três anos.

O acordo alterado, que prevê a operação das 30 aeronaves pela ABX e pela ATI, e a prestação de serviços de hub e gateway pela LGSTX, também foi estendido por mais cinco anos face ao prazo original, até Março de 2026, com uma opção de renovação por um período adicional de três anos.

A Atlas Air, por sua vez, vai, ainda este ano, fazer um leasing de cinco aviões cargueiros B737 à locadora Gecas e operá-los através da sua subsidiária Southern Air. Este contrato assinala a primeira incursão da Amazon em aviões B737.

O acordo tem um prazo de sete anos, com opção da Amazon para o prolongar até dez anos. O gigante do e-commerce pode, além disso, colocar até mais 15 B737 na Southern Air antes de 31 de Maio de 2021.

A Amazon está a apostar na criação de uma rede de distribuição própria, à escala mundial, para suprir as lacunas dos seus fornecedores habituais, leia-se, os integrators. A companhia já disse, no entanto, não ser sua intenção substitui-los.

 

Tags:

Comments are closed.