O presidente executivo da ANA – Aeroportos de Portugal rejeitou hoje a ideia de que a solução do Montijo para complementar a Portela tem limitações, dizendo mesmo que no futuro a base aérea poderá ter mais uma pista.

Base Aérea Montijo

Na conferência sobre o novo aeroporto, a decorrer no Parlamento, Carlos Lacerda, explicou que o plano actual é “beneficiar a pista já existente”, mas perante a eventualidade de necessidade de crescimento no futuro, “a configuração da base aérea” permite mais uma pista, disse.

“Mas não há intenção de ir construir já uma pista nova”, uma vez que os projectos são de reforçar o piso e aumentar em cerca de 350 metros a actual, de 2 147 metros, segundo Lacerda, que sustentou que a “solução do Montijo tem capacidade de crescimento”.

“A ideia de que estamos limitados pelo tamanho da pista ou por qualquer outro

constrangimento não é verdade”, garantiu.

O responsável informou ainda que se “está a entrar em muito mais detalhe” no

estudo ambiental do Montijo, que “irá ser concluído no final do ano”.

Durante a conferência, Carlos Lacerda defendeu que a solução do Montijo enquanto aeroporto complementar em Lisboa é “melhor” por ser a hipótese “mais rápida, mais barata e a que tem menos riscos de operacionalizar pela sua proximidade a Lisboa”.

Carlos Lacerda explicou ainda que esta solução mais barata possibilitará “taxas

aeroportuárias mais agressivas”, no sentido de competir com outros eroportos.

No final da conferência, aos jornalistas, o presidente da ANA garantiu a disponibilidade para dialogar com a Força Aérea, nomeadamente na transmissão de informação sem constrangimentos”.

This article has 1 comment

  1. A ANA devia ser obrigada a pagar multas enormes porque se nega, literalmente, impede que a DHL faça seu investimento que consiste em transformar a nossa capital num hub de carga aérea para O Brasil e para toda a África de língua portuguesa, ou seja, Lisboa podia ser o centro logístico de tráfego de carga aérea para todos os PALOP, se os franceses da VINCI não estarem há vários anos a impedir este investimento levando a que o mesmo vá ser desviado ou para Madrid ou para Marselha, VERGONHA ANA !