Vinte anos passados, o Governo volta a ter um Ministério do Mar. Ana Paula Vitorino, ex-secretária de Estado dos Transportes, é a escolha de António Costa para assumir a pasta que foi, em tempos idos, de Azevedo Soares e Duarte Silva.

Leixões

A proposta de Governo hoje apresentada ao Presidente da República pelo primeiro ministro indigitado acaba com o mega-Ministério da Economia que foi uma das pedras de toque do modelo dos Executivos liderados por Pedro Passos Coelho. A orgânica do novo Governo ainda não é conhecida mas é certo que é recuperado o Ministério do Planeamento, que será também das Infraestruturas (até aqui incluídas na Secretaria de Estado das Infraestruturas, Transportes e Comunicações).

Manuel Caldeira Cabral será o novo ministro da Economia, enquanto Pedro Marques assumirá a pasta do Planeamento e das Infraestruturas, ficando responsável pela gestão do grosso dos fundos comunitários.

O Mar, que nos últimos governos PSD/CDS-PP esteve “encostado” à Agricultura sob a direcção de Assunção Cristas, reganha as honras de ministério, agora sob a liderança de Ana Paula Vitorino, que foi secretária dos Transportes e enquanto tal directamente responsável pela gestão dos portos e não só. Curiosamente, a dirigente socialista foi até há bem pouco a responsável editorial da revista Cluster do Mar.

Fica por esclarecer, pelo menos até que se conheçam as secretarias de Estado, como ficarão arrumadas as questões dos transportes e da logística no novo Executivo. Se concentradas e articuladas, se dispersas por diferentes ministérios.

Do elenco do próximo Governo, assim seja aprovado e empossado por Cavaco Silva, fará também parte João Pedro Matos Fernandes. O ex-presidente da APDL (sucedeu a Ricardo Fonseca) será ministro do Ambiente, dando assim sequência ao trabalho que agora desempenhava na Águas do Porto e à prestação como chefe de gabinete do secretário de Estado Ricardo Magalhães no Ministério do Ambiente de Elisa Ferreira.

 

Os comentários estão encerrados.