Angola deve 137 milhões de dólares às companhias aéreas. Só a TAP terá ainda retidos cerca de 60 milhões.

Angola é terceira no ranking das dívidas às companhias aéreas

Angola é o terceiro país do mundo com mais receitas das companhias aéreas retidas por incapacidade de obtenção de divisas para proceder à sua repatriação, informou a IATA.

Em causa estão as receitas com origem na venda de passagens aéreas que as companhias aéreas não conseguem depois repatriar, no caso de Angola devido à crise económica, financeira e cambial que o país atravessa desde finais de 2014 (fruto da quebra da cotação do petróleo, que reduziu drasticamente as receitas do país em divisas).

A situação levou Angola a acumular uma dívida em fundos bloqueados – depositados em moeda angolana nos bancos nacionais e que aguardam autorização para repatriação – que chegou a atingir um pico de mais de 500 milhões de dólares, de acordo com os números da IATA.

A TAP, que ao contrário de outras companhias manteve as operações em Angola, tinha no final do ano passado 120 milhões de dólares “presos” no país. No entretanto, e segundo avança o “Público”, terá conseguido repatriar mais de 60 milhões de dólares.

Venezuela concentra dívidas

Segundo a IATA, as companhias aéreas têm retidos em países estrangeiros 4 600 milhões de dólares.

Mais de 80% daquele valor (82% para ser mais exacto) está concentrado na Venezuela, que acumula uma dívida de 3 780 milhões de dólares.

No segundo lugar deste ranking indesejável está o Bangladesh com 147 milhões de dólares. Angola é terceira, à frente  do Sudão, com 134 milhões de dólares, e do Zimbabué com 132 milhões de dólares.

 

 

 

Tags:

Comments are closed.