Angola propõe-se investir na ferrovia, nas plataformas logísticas e nos portos para garantir uma cobertura integral a nível nacional e regional, disse quinta-feira, em Luanda, o ministro dos Transportes.

Angola - Porto de Luanda

Os investimentos realizar-se-ão, logo que possível, na rede ferroviária nacional, na rede nacional de plataformas logísticas, na rede de cabotagem do norte de Angola e na rede ferroviária ligeira de Luanda. Os portos previstos são o novo porto de águas profundas de Cabinda, o novo porto de Luanda, na barra do Dande, para onde será transferido o actual porto que serve a capital do país, e o novo porto de Porto Amboim, de acordo com a “Angop”.

Augusto da Silva Tomás, que falava na sessão de abertura da Feira Internacional dos Transportes e Logística (ExpoTrans 2015), adiantou que no âmbito das obras em curso estão actualmente em construção o novo aeroporto internacional de Luanda, que tem associado a duplicação da linha ferroviária entre as estações do Bungo e Baía e uma nova linha férrea entre esta última estação e o novo aeroporto.

Augusto Tomás aproveitou a ocasião para informar terem sido recuperados e modernizados ou construídos de raiz, até à presente data, um total de 15 aeroportos, em diversas províncias do país, cobrindo de forma racional todo o território angolano.

A Feira Internacional dos Transportes e Logística é uma organização do Ministério dos Transportes, em parceria com a Feira Internacional de
Luanda (FIL), contando este ano com a participação de expositores de Angola, Portugal, Brasil, Zimbabué, Holanda, China, Alemanha, África
do Sul e República Democrática do Congo, este último pela primeira vez.

Tags:

Comments are closed.