O governo de Angola pretende construir uma linha de caminho-de-ferro que estabeleça a ligação entre as três actualmente existentes, dando origem a uma rede ferroviária nacional, anunciou no Lubango o ministro dos Transportes.

Augusto Tomás disse que o projecto inclui a construção de plataformas logísticas em diversos locais ao longo do traçado da linha, quando discursava na abertura de um seminário sobre transporte ferroviário em Angola.

“O governo definiu como prioridade a duplicação da linha do caminho-de-ferro de Luanda, entre as estações de Baía e do Bungo (próximo do Uíge) e a construção de um ramal entre Baía e o novo aeroporto internacional da capital, que inclui quatro passagens de nível superiores”, disse o ministro, citado pelo “Jornal de Angola”.

Augusto Tomás mencionou igualmente a construção da linha de caminho-de-ferro do Norte, entre Luanda, Uíge e Mbanza Congo, com posterior ligação ao porto do Soyo, e a ligação entre os caminhos-de-ferro de Benguela, com início nas imediações do município de Luacano, Moxico, até à fronteira Leste com a Zâmbia. Este ramal permitirá a ligação com aquele país vizinho e viabilizará o transporte do minério da região das minas de cobre para os mercados internacionais através do terminal mineiro do porto do Lobito.

O ministro dos Transportes anunciou também a elaboração de um estudo de viabilidade “para a construção da ligação em falta no final da linha do CFB, nas proximidades do Lobito”.

Augusto Tomás defendeu a realização de um estudo para a definição de modelos de financiamento e construção, no âmbito do qual deve ser analisada a possibilidade da intervenção do sector privado nas operações de edificação e gestão das infra-estruturas e de exploração de serviços de transporte.

Comments are closed.