A execução da Rede Nacional de Plataformas Logísticas angolana é incontornável para o desenvolvimento da economia do país, garantiu o ministro dos Transportes, Augusto Tomás.

Angola - Porto de Namube

De acordo com o plano, Angola disporá de mais 44 plataformas logísticas urbanas, regionais, portuárias e transfronteiriças, incluindo centros de carga aérea nos principais aeroportos do país.

O plano de construção de plataformas logísticas, que é tutelado pelo Ministério dos Transportes, foi já apresentado aos governos provinciais,
empresários nacionais e estrangeiros para a sua execução, atendendo ao processo em curso de diversificação da economia, de acordo com a “Angop”.

Falando no encerramento da conferência sobre plataformas regionais, na cidade do Huambo, Augusto Tomás disse que a criação da Rede Nacional de Plataformas Logísticas incentivará o aparecimento de mais actividades produtivas nas regiões onde se localizem, sobretudo no interior do país, tendo em atenção que “a rede logística e de transportes assume-se como um factor de desenvolvimento.”

Os comentários estão encerrados.