A Associação Nacional dos Transportes Portugueses (ANTP) propõe-se avançar com novas formas de luta caso não obtenha do Governo respostas aos problemas do sector.

ANTP ameaça voltar aos protestos

“A partir de amanhã [hoje] temos que dar resposta tanto a estes empresários como a outros que querem estar no sector e continuar a trabalhar pelo futuro deles e dos filhos”, disse o presidente da ANTP, Márcio Lopes, aos jornalistas, em Lisboa, ontem, no final de uma reunião no Ministério do Planeamento e das Infraestruturas.

De acordo com o responsável, ao contrário do que estava agendado,o secretário de Estado das Infraestruturas, Guilherme W. d’Oliveira Martins, esteve ausente da reunião.

“Debatemos alguns temas que estavam em cima da mesa, [mas] não nos deram respostas àquilo que está ou estava a ser feito. Aquilo que ficou prometido é que a partir de amanhã [terça-feira] vamos reunir, novamente, vamos trabalhar na regulamentação do sector”, acrescentou.

Em cima da mesa vai continuar a estar a reivindicação do Contrato Colectivo de Trabalho, melhores condições de trabalho e ainda o preço dos combustíveis.

“É possível que amanhã [terça-feira] consigamos ter respostas positivas, tudo depende do que o Governo queira fazer […]. Se não conseguirmos, a luta irá ser posta em prática, como era para ter sido hoje, se nós não conseguíssemos respostas do Governo”, vincou.

Segundo Márcio Lopes, a reunião desta terça-feira vai contar com a presença de Guilherme W. d’Oliveira Martins, do secretário de Estado do Emprego, Miguel Cabrita, e com uma representação da Autoridade Tributária.

 

Tags:

Os comentários estão encerrados.