A ANTRAM e o sindicado dos motoristas de matérias perigosas chegaram esta noite a acordo, assim afastando a greve. No final do mês voltam a encontrar-se.

Afinal bastou uma semana para patrões e motoristas de matérias perigosas chegaram a um princípio de acordo de princípio. Os termos não foram divulgados pelas partes e haverá ainda algumas “arestas” para limar. O sindicato diz que se chegou perto do pretendido, a associação empresarial sustenta que a proposta de agora é muito diferente da inicial.

Recorde-se que o sindicato pedia um salário base de 1 200 euros para os motoristas de matérias perigosas e a redução da idade da reforma, entre outras reivindicações.

“A negociação aproxima-se muito do valor que estávamos a pedir inicialmente. Agora vou falar com os nossos associados, porque eles merecem esse respeito e precisamos da aprovação deles, e a ANTRAM vai falar com os seus associados”, revelou no final do encontro o vice-presidente do Sindicato Nacional de Motoristas de Matérias Perigosas.

Pardal Henriques  acrescentou que estabeleceram um “prazo de paz negocial”, até ao final do mês, para se voltarem a sentar e conversar.

O vice-presidente da ANTRAM, Pedro Polónio, socorreu-se do “dever de sigilo” para não avançar valores, mas salientou que a proposta é “substancialmente diferente” da que tinha sido apresentada inicialmente, estando agora “apta a ser apresentada” aos associados.

“Esta associação não vai colocar, de forma alguma, em causa a rentabilidade das empresas (…) e não vão ser tomadas decisões sem que as empresas sejam ouvidas”, garantiu Pedro Polónio.

O responsável da associação empresarial notou ainda que, “ao contrário do que se faz passar, estes trabalhadores já têm, de facto, um regime laboral distinto do de grande parte dos trabalhadores”.

Porém, admitiu ser possível ir mais além na valorização destes trabalhadores.

“Não há nada decidido. Foi apresentada uma proposta que nada tem a ver com a proposta que tinha sido apresentada (…). Temos um período de 30 dias para falarmos com os nossos associados, percebermos se esta proposta é exequível e depois virmos aqui discutir os pormenores de um quadro geral que nos foi aqui
apresentado”, reiterou.

Comments are closed.