ANTRAM e SNMMP fecharam hoje o processo negocial do CCT. Os motoristas de matérias perigosas terão garantido um salário bruto de 1 649 euros.

O Sindicato Nacional de Motoristas de Matérias Perigosas (SNMMP) junta-se, assim, à FECTRANS, que ontem mesmo rubricou com a ANTRAM a revisão do CCT dos motoristas de mercadorias acordado no ano passado.

O acordo hoje firmado entre as duas partes prevê que um motorista de matérias perigosas passe a ganhar 1 649,05 euros brutos, segundo avança o “Notícias ao Minuto”.

O CCT já acordado entre a ANTRAM e a FECTRANS actualiza em 11,1% a tabela salarial para os motoristas de pesados, bem como “as principais cláusulas pecuniárias” em, pelo menos, 4%.

Por outro lado, “o resultado da negociação traduz-se num CCTV com nova estrutura, que contém uma parte geral e que autonomiza os capítulos referentes ao transporte nacional, outro ao internacional/ibérico e outro sobre as matérias perigosas”, indicou a FECTRANS, em comunicado.

Outra “novidade” do CCT é a definição de limites nos tempos de trabalho. “Fica claro que todo o tempo, incluindo o de disponibilidade, é pago”, refere o texto da FECTRANS.

A partir daqui só falta mesmo o acordo entre a ANTRAM e o Sindicato Independente dos Motoristas de Mercadorias (SIMM).

Comments are closed.