A partir de Janeiro, a ANTRAM passará a denunciar as empresas de transporte rodoviário de mercadorias que não cumpram o Contrato Colectivo de Trabalho (CCT) assinado em Agosto.

ANTRAM vai denunciar as empresas que não cumpram o novo CCT

Ao mesmo tempo, acrescentou Gustavo Paulo Duarte, presidente da associação de transportadores, a ANTRAM vai também “ensinar” à Autoridade para as Condições do Trabalho (ACT), à Segurança Social e à Autoridade Tributária como se fiscalizam as empresas do sector.

Para o presidente da ANTRAM, o cumprimento do CCT é essencial para aumentar a atractividade do sector e, assim, ultrapassar a “falta muito acentuada de mão de obra”.

 

“A partir de Janeiro, é a própria ANTRAM que vai fazer denúncias. O sector quer-se legal e competitivo. Se é ilegal, estamos cá”, referiu.

Acrescentou que a ANTRAM vai dotar as entidades fiscalizadoras, como ACT, Segurança Social e Autoridade Tributária, “de capacidade para encontrar” quem não cumpre. “Vamos ensinar a fiscalizar o sector”, sublinhou.

Gustavo Duarte disse que o CCT veio regular o sector, mas enfatizou que é necessário obrigar as empresas a aplicá-lo.

“Hoje um motorista recebe bem, mas as condições de trabalho como andam? Dias inteiros fora de casa, semanas inteiras fora de casa. Há muita dificuldade em contratar, não há pessoas para trabalhar”, alertou.

Para o dirigente, esta situação só se inverte se a melhores vencimentos se juntarem melhores condições de trabalho e uma diferente “maneira de trato” dos trabalhadores.

No entanto, Gustavo Duarte admitiu que as empresas vão ter dificuldade em ajustar-se à nova realidade do sector, designadamente por causa da carga fiscal resultante da nova relação contratual com os nossos colaboradores.

“A carga é demasiado elevada, somos grandes contratantes e os ordenados são muito altos. Quase que duplicámos a receita da Segurança Social no sector, quase que criamos um novo sector”, referiu.

Apelou, por isso, ao Governo no sentido de permitir um “crescimento gradual” da carga fiscal, para que não seja concretizada imediatamente no actual ano fiscal.

Apesar de tudo, Gustavo Duarte manifestou-se “optimista” em relação ao futuro do sector do transporte rodoviário de mercadorias e criticou o investimento público na ferrovia. “Eu acho que o camião é o futuro, não é o comboio”, rematou.

» ANTP contesta CCT da ANTRAM-Fectrans

 

Tags:

This article has 12 comments

  1. Manuel tavares

    O sr. Presidente da antran que os salarios são altos dos camionistas? Talvez comparado do que o sr.ganha e uma miseria sem falar nas horas de trabailho.os salarios de portugal em relação do que se trabailha são uma miseria.

  2. Ordenados bons mas ajudas de custo prêmio tir esta tudo incluído se for de baixa não dá para comer e redação da casa

  3. Boa noite, ganha se bem diz esse senhor… É preciso ter lata, gostava era que ele coloca se preto no branco quanto irá ganhar um motorista que passa 26 ou 27 dias fora de casa e que ganha menos do que ganhava à 15 anos atrás. Ao fim de tantos anos a roubarem os motoristas a torto e a direito, pagando ilegalmente já que todos praticamente pagavam ao km, fazem um acordo em que novamente o motorista não sabe ao certo o que ganha já que nesta nova lei continuam a haver esquemazinhos engendrado por esse senhor e mais alguns que dominam o sector. Quando faz uma carga para a Alemanha por exemplo, à que perguntar a esse senhor se também cobra um preço diferente ao cliente se o camião no próprio dia que carrega não sair de Portugal já que para o motorista só querem pagar uma diária de nacional,. Se num dia o motorista for a Espanha e conseguir dormir de novo em Portugal só recebe uma diária de nacional, tretas é o que digo dessa lei, este desabafo desse senhor serve apenas para um decréscimo na carga fiscal das empresas, e para o motorista? Tenham mas é vergonha e paguem o preço justo aos motoristas e demais funcionários em cada parte do sector que assim já têem gente para trabalhar.

  4. Fernando Manuel

    O Sr Gustavo Paulo Duarte bateu com a cabeça onde e e o pai sao o exemplo da baixa de ordenados

  5. Alvaro Figueiredo

    Este e outros senhores sao uns crápulas que toda a vida sugaram o sangue aos motoristas qeiixam se agora que nao existe motoristas para o setor tentando agora de uma forma enganosa o acesso a profissão com promessas falsas

  6. Esse artolas vai levar a melhor deste mundo… O mesmo que eu! Um caixão.Só tem uma diferença? Gozou mais que eu …

  7. Vítor Queirós

    Acabem com essa treta de salário+prêmio tirar+cláusula 74
    Paguem um salário digno e vós garanto que motoristas não faltam
    Agora com a miséria que eles ganham não sei como ainda conseguem gente para trabalhar
    Cumprimentos

  8. Vítor Queirós

    Sem mais
    Eu ganhava 300.000 escudos a 30 anos e hoje ganham o mesmo e alguns nem isso ganham
    Tenham vergonha

  9. O aumento veio,mas pelos vistos á muitas empresas não cumprem,e não querem cumprir,e dizem que não vão dar,vamos ver se a fiscalização vai dar resultado.para quem eu trabalho é uma delas.

  10. Esses senhores da antram estam preocumados com a falta de motoristas podera com salários minimo nacional quem quer vir para essta vida. Na minha opiniao com as formaçãos e valores envolvidos para obeter a carta de conduçao nesta classe um salário de 800€ era bem nessesario para esta profição .

  11. Há que começar a denunciar as irregularidades feitas pela “Paulo Duarte”… está tudo dito.
    E a antram , não passa de um antro de parasitas que só serve os interesses das grandes empresas associadas.

  12. Subscrevo as palavras do Presidente, sou e sempre fui a favor da LEGALIDADE, só desta forma penso eu, vai terminar com motoristas ao DIA sem os respectivos descontos e regalias.
    Que esse dia seja breve.
    Bem haja.