Antram e ANTP aplaudem a intenção do Governo de testar o “gasóleo profissional” junto *a fronteira. A Antrop, que representa transportadores de passageiros, diz que a medida também os abrange.

Antrop - Luís Cabaço Martins

Uma “luz ao fundo do túnel” ou um “passo na direcção correcta”. É assim que as duas associações de transportadores rodoviários de mercadorias classificam o anúncio pelo Governo da criação de uma rede de postos de combustível fronteiriços (junto às fronteiras de Vilar Formoso, do Caia-Elvas e, outra, a Norte) onde o preço do gasóleo para os veículos pesados será igual, ou mesmo ligeiramente mais barato, que em Espanha.

A experiência deverá durar seis meses e, se for bem sucedida, poderá ser alargada a todo o País, instituindo-se assim o “gasóleo profissional”. Assim Bruxelas autorize.

A redução do ISP no gasóleo vendido aos transportadores deverá ser compensada com a recuperação dos consumos que actualmente “fogem” para Espanha.

Paralelamente, o Executivo propôs a introdução de descontos nas portagens nas ex-Scut.

Passageiros também beneficiam?

As medidas foram anunciadas no final de uma reunião do ministro Eduardo Cabrita com dirigentes dos transportadores rodoviários de mercadorias. Na altura, o ministro não precisou se os transportadores de passageiros também seriam beneficiados, mas esse é o entendimento da Antrop.

Luís Cabaço Martins, presidente do Conselho Directivo da Antrop, a associação que representa os transportadores rodoviários de pesados de passageiros, já disse que o Governo lhes fez as mesmas propostas, quer no relativo ao “gasóleo profissional”, quer no concernente aos descontos nas portagens.

Facto é que no caso dos passageiros os benefícios serão bem mais mitigados, uma vez que, ao contrário do que acontece nas mercadorias, mais expostas aos transportes internacionais, a actividade dos principais transportadores se concentra na faixa litoral, e em particular em torno das principais áreas metropolitanas. Onde os descontos no gasóleo não chegarão… pelo menos nos seis meses de experiência.

Governo e associações de transportadores têm novo encontro marcado para 16 de Maio, para afinarem mais pormenores do sistema experimental, que deverá arrancar em Julho.

 

Os comentários estão encerrados.