Pequim já terá dado o acordo definitivo e a fusão entre a China Shipping e o Cosco Group poderá ser anunciada já amanhã, sexta-feira. Faltará depois convencer os investidores minoritários e concretizar a operação, que se adivinha intrincada.

Cosco + CSCL

A concretizar-se o anúncio, como avança a imprensa económica internacional, amanhã se saberá se a fusão abarcará apenas o negócio do transporte marítimo de contentores ou se atingirá outras, ou mesmo todas – as actividade dos dois grupos (nomeadamente, operação de terminais e transporte de granéis) . No primeiro caso a operação valerá 10-20 mil milhões de dólares, segundo os analistas. No segundo poder~se-á estar a falar de 80 mil milhões de dólares.

Na semana passada a CMA CGM anunciou a compra da NOL, num negócio que valoriza a companhia asiática em 2,4 mil milhões de dólares.

A fusão da CSCL (7.º) e da Cosco (6.º) criará o quarto maior transportador marítimo de contentores, com uma capacidade de 1,5 milhões de TEU e uma quota de 7,7%.

A concretizar-se, a fusão poderá ter importantes implicações no xadrez mundial do transporte marítimo de contentores, desde logo pelo envolvimento das duas companhias em diferentes alianças.

A fusão é desde a primeira h0ra apadrinhada pelo governo de Pequim, que pretende criar gigantes mundiais para melhor resistirem às crises e servirem os objectivos de expansão económica internacional do país.

 

Comments are closed.