A greve ao trabalho extraordinário dos estivadores convocada pelo SEAL “não está a ter qualquer impacto” em Leixões, garante a APDL, que faz eco de alegadas pressões do SEAL aos estivadores do porto.

A greve dos estivadores não está a sentir-se em Leixões

Em comunicado, a administração portuária de Leixões sustenta que “a actividade portuária decorre em absoluta normalidade” e avança que a greve dos estivadores “não terá qualquer impacto na actividade” do porto nortenho.

Em contraponto, a APDL anuncia que o movimento de mercadorias em Leixões cresceu 2% em Julho, em termos homólogos, e que o crescimento acumulado dos primeiros sete meses do ano foi de 1,8%, “prevendo-se assim mais um registo histórico” para o final do ano corrente.

Sobre as alegações do SEAL relativas às práticas anti-sindicais em Leixões, por vezes com a conivência da autoridade portuária, a APDL garante, no comunicado, desconhecer “qualquer registo de perseguição aos trabalhadores sindicalizados no SEAL dentro do porto de Leixões”. E contra-ataca dizendo que “mais recentemente, têm sido veiculadas algumas preocupações pelo Sindicato dos Estivadores de Leixões de pressão pelo SEAL aos seus membros”.

“A APDL continuará a estar atenta ao desenvolvimento da situação e zelará pela defesa dos direitos, liberdades e garantias individuais e sindicais dentro do porto de Leixões”, conclui o comunicado.

 

 

Os comentários estão encerrados.