No final do próximo ano, o porto de Leixões voltará a ter o Titan do Molhe Sul. A APDL vai investir 1,85 milhões na reconstrução.

O anúncio foi feito há meses pela ministra do Mar e o concurso público internacional lançado agora. A APDL propõe-se investir 1,85 milhões de euros na reconstrução do Titan do Molhe Sul, um dos dois (o outro ainda está no Molhe Norte) equipamentos empregues na colocação dos grandes penedos (“leixões”) com que foram construídos os molhes de protecção do porto de Leixões.

O anúncio do concurso fala na concepção, execução, montagem e reconstrução do guindaste Titan. Na prática, e dada a degradação do equipamento, estar-se-á a falar mais na construção de uma réplica, que ficará, não já no extremo do molhe, mas no acesso ao terminal de cruzeiros, onde poderá usufruído pela população.

A adjudicação dos trabalhos deverá acontecer em Outubro próximo, e a execução prolongar-se por um ano. A inauguração acontecerá, por isso, algures no último trimestre de 2020.

O Titan, um enorme guindaste movido a vapor e que se deslocava sobre carris, foi construído e montado em 1888 com o objectivo de suportar a construção do porto nortenho. A obra do Porto de Leixões começou em Julho de 1884 e implicou a construção de dois grandes molhes, um a Norte, com a extensão de 1 579 metros, e outro a Sul, com a extensão de 1 147 metros.

Comments are closed.