Frustrada a intenção de concessionar o projecto, a APDL acaba de lançar o primeiro concurso para a construção da plataforma logística de Leixões, num investimento estimado de 17,5 milhões de euros.

O objectivo é que as obras se iniciem ainda este ano, de modo a que as primeiras empresas possam começar a instalar-se na plataforma algures em 2012.

Este concurso abrange apenas os cerca de 30 hectares do pólo 1 da futura plataforma logística, o pólo de Gonçalves, que dista apenas dois quilómetros do perímetro portuário, dispondo de acessos rodoviários exclusivos (já prontos).

Cumprindo-se o calendário previsto, o concurso para a construção do segundo pólo da plataforma logística de Leixões deverá avançar em Setembro próximo. O pólo de Gatões-Guifões abrange 35 hectares, incluindo um terminal rodo-ferroviário que ocupará nove hectares e será promovido pela Refer.

Em ambas as fases, o investimento previsto respeitará apenas às infra-estruturas e aos serviços comuns. A construção das diferentes naves logísticas deverá ficar a cargo dos seus futuros utilizadores.

A APDL continuará entretanto a desenvolver contactos para encontrar um parceiro que a auxilie na gestão da plataforma logística, apurou o TRANSPORTES & NEGÓCIOS. A Zaldeza, sociedade que gere a plataforma logística de Salamanca, será uma das possibilidades em aberto, pelo know-how que detém e pelos acordos de cooperação que já unem as duas entidades.

Recorde-se que a Zaldeza esteve para concorrer à concessão da plataforma logística em consórcio com a Mota-Engil, mas não chegaram a apresentar qualquer proposta. A Zaldeza tem também em “standby” um projecto para a instalação de um entreposto de frio no porto de Leixões.

 

Comments are closed.