Se tudo correr como previsto, dentro de cinco anos o rio Douro será navegável 24 horas por dia. O investimento necessário previsto ascende a 75 milhões de euros.

Douro Azul - Douro Cruiser

Responsáveis da APDL estiveram em Bruxelas para apresentar o projecto “Douro’s Inland Waterway 2020” e promover as potencialidades da via navegável. A apresentação, que decorreu na Representação Permanente de Portugal junto da União Europeia (REPER), contou com a presença do Coordenador Europeu das Auto-estradas do Mar, Brian Simpson.

A via navegável do Douro, note-se, integra a rede “core” da Rede Transeuropeia de Transportes.

A APDL substituiu o IMT na gestão da via navegável no início do ano passado. E ainda no ano passado, no âmbito da primeira chamada do CEF-Transportes, foi obtido um co-financiamento comunitário de 2,3 milhões de euros para a realização de estudos e projectos de melhoria da navegabilidade do rio.

As necessidades estão, há muito, relativamente bem elencadas e prendem-se, no essencial, com a sinalização do canal navegável, a cobertura de toda a via por um sistema de segurança e telecomunicações, a modernização das eclusas das barragens, a regularização dos fundos em alguns troços, em particular junto à foz do Tua.

O objectivo final é criar condições de navegabilidade segura, 24 horas por dia, para os navios de passageiros e de mercadorias. O investimento total previsto é de 75 milhões de euros.

O negócio dos cruzeiros no Douro continua a desenvolver-se rapidamente, ao passo que o transporte de mercadorias se resume praticamente ao tráfego de algum granito, sendo reduzido o movimento nos três cais comerciais existentes.

 

Os comentários estão encerrados.