A APDL acaba de lançar o concurso para a escolha da empresa que há-de assegurar a gestão e a promoção comercial da plataforma logística de Leixões. Os primeiros operadores deverão instalar-se no pólo 2 dentro de ano e meio, apurou o TRANSPORTES & NEGÓCIOS.

Apesar das dificuldades da conjuntura, a administração portuária de Leixões continua a cumprir o calendário para a implantação da plataforma logística do porto nortenho. Depois do concurso para a infra-estruturação do pólo 1, e do concurso para a construção das primeiras duas naves no pólo 2, a APDL anuncia agora o procedimento para a selecção da entidade que há-de gerir a plataforma.

Tal como o TRANSPORTES & NEGÓCIOS adiantou já em Abril passado, o processo agora anunciado visa escolher quem assegure a gestão do dia-a-dia da plataforma (no que toca ao fornecimento dos serviços comuns, de “condomínio”) e, também, faça a promoção e comercialização do empreendimento junto do mercado.

Será um contrato de prestação de serviços, com uma duração de cinco anos, que interessará em primeira linha aos promotores imobiliários com know-how no sector logístico. Mas não está excluída a participação de grupos com interesses no sector marítimo-portuário e nas actividades logísticas.

Entretanto, o TRANSPORTES & NEGÓCIOS sabe que a APDL já terá fechado o acordo para a instalação de um grande operador logístico no pólo 2 da plataforma logística. Mais, o concurso lançado há algum tempo para a construção de duas naves no pólo de Gatões-Guifões já visará responder às necessidades e às exigências dos futuros “inquilinos”.

Se tudo correr dentro do previsto, dentro de sensivelmente ano e meio já haverá operadores instalados na plataforma logística de Leixões, apurou ainda o TRANSPORTES & NEGÓCIOS.

Comments are closed.