A APM Terminals anunciou o despedimento de 160 estivadores no seu terminal de Gotemburgo e apelou à intervenção do governo sueco para por termo a um conflito que já dura há cerca de ano e meio.

Estivadores - APM Terminals

“Esta foi uma decisão [despedimentos] muito difícil, mas necessária, causada por bloqueios consecutivos e nove greves em mais de um ano promovidos pelo sindicato dos estivadores suecos, que motivou várias companhias a deixarem de fazer escala em Gotemburgo. Os volumes de contentores caíram 20%. As cadeias de abastecimento nórdicas sentiram o impacto em termos de custo e tempo”, indicou, citado em comunicado, o director-geral da APM Terminals Gotemburgo, Henrik Kristensen.

O mesmo responsável salientou ser necessária “a intervenção imediata do governo se a Suécia pretende proteger a sua economia e garantir que as empresas suecas podem crescer e competir globalmente – e que o consumidor sueco tem acesso a produtos a preços acessíveis nas prateleiras das lojas”.

O terminal da APM em Gotemburgo é o maior terminal de contentores da Escandinávia e por ali passa cerca de metade de todo o tráfego de contentores da Suécia.

Henrik Kristensen lembrou ainda que “as regras laborais dos portos têm mais de 40 anos e já não satisfazem as realidades do negócio de hoje”.

Após a dispensa de 160 trabalhadores, a operação da APM Terminals em Gotemburgo ficará reduzida a dois turnos, sendo eliminado o da noite. Na prática, uma situação que já hoje existe, fruto do lockout implementado pela empresa.

 

Comments are closed.