A APTMCD é uma das dinamizadoras da criação de um “Observatório” europeu sobre a intermodalidade, um projecto que envolve os 20 centros europeus de promoção do short sea shipping (SPC).

A criação do “Observatório” será apoiada pela União Europeia, através do Marco Polo II. O respectivo contrato foi assinado no passado fim de semana, no decurso de mais um curso das Auto-Estradas do Mar, promovido pela Escola Europeia de Short Sea Shipping, adiantou António Belmar da Costa ao TRANSPORTES & NEGÓCIOS.

A iniciativa resulta de um desafio lançado pela DGMove à rede europeia de SPC. O objectivo é recolher a tratar informação sobre o “estado da arte” da intermodalidade, em cada um dos países e ao nível europeu. Esse manancial de informação servirá depois como ajuda à decisão das instâncias europeias.

E como funcionará o projecto? Segundo o dirigente da APTMCD, “haverá quatro grupos de trabalho – Observação de Mercado, Ambiente, Promoção e Informação e Coordenação -, cada um com um coordenador e um vice-coordenador. E cada SPC nacional canalizará para cada um desses grupos as informações devidas e respeitantes à sua realidade nacional/regional. Tais informações serão depois trabalhadas ao nível dos grupos de trabalho e reportadas a Bruxelas”.

Portugal assumirá a vice-coordenação dos grupos de trabalho “de Observação do Mercado e da Coordenação”. É caso único, sublinha Belmar da Costa. E um reconhecimento da acção desenvolvida pela APTMCD, “apesar da escassez de meios”. Meios esses que deverão aumentar com o apoio do Marco Polo II, agora formalizado.

A execução do projecto prolongar-se-á por dois anos.

Os comentários estão encerrados.